Joe Biden renuncia à doutrina do “No first use” para armas nucleares americanas

Se a doutrina do uso de armas nucleares nas democracias é um assunto altamente político, é claro que, durante cinquenta anos, isso mudou pouco, seja na França, na Grã-Bretanha como nos Estados Unidos. Durante a última campanha presidencial dos Estados Unidos, o candidato Joe Biden prometeu incorporar uma regra firme sobre o uso dessas armas caso fosse eleito, renunciando a elas a menos que fosse atacado por outras armas nucleares. E como havia muitos antes dele, Joe Biden finalmente desistiu de implementar tal doutrina, aderindo à doutrina muito tradicional de usar…

Leia o artigo

Emirados Árabes Unidos suspendem negociações de compra do F-35

Então, no meio da campanha eleitoral para sua reeleição para a Casa Branca, Donald Trump deu um grande golpe no verão de 2020 ao anunciar a assinatura de um acordo de paz entre os Emirados Árabes Unidos e Israel, um acordo que foi rapidamente juntaram-se outras monarquias sunitas do Golfo em um esforço para normalizar as relações com o Estado judeu após várias décadas de tensão sobre a causa palestina. Se os pontos de convergência foram numerosos, em particular sobre o risco potencial representado pelo programa nuclear iraniano, os Emirados Árabes Unidos aproveitaram a oportunidade para negociar com Donald Trump a venda de tecnologias de defesa até então reservadas...

Leia o artigo

Os Metavers, uma questão crítica de defesa e segurança a médio prazo

Em 28 de outubro, o presidente do Facebook, Mark Zuckerberg, anunciou o lançamento de um enorme programa destinado a tornar sua empresa, renomeada "Meta" nesta ocasião, o pilar global no campo do Metaverse. Embora não tenha havido, a rigor, anúncios precisos durante esta conferência de imprensa, nem em termos de projecto nem de calendário, esta ambição dá claramente o início de uma próxima etapa na evolução da ligação que todos podem ter com digital. Como tal, o Metaverso traz muitas oportunidades em termos de defesa para quem sabe aproveitá-las, mas também…

Leia o artigo

Por que a Alemanha favorece a parceria estratégica com os Estados Unidos?

Nas últimas semanas, as relações franco-alemãs em torno dos programas de cooperação industrial de defesa começaram a se assemelhar ao cenário de uma má série sul-americana, com sua parcela de reviravoltas artificiais e declarações destinadas a serem sensacionais na forma de um cliffhanger. Últimos acontecimentos até agora, a amarga observação feita por oficiais franceses das dificuldades encontradas nas discussões em torno do programa Tiger 3, com o objetivo de uma possível aquisição de helicópteros AH-64E Apache por Berlim do outro lado do Atlântico, e as profundas diferenças que se opõem a visão francesa da visão alemã sobre o programa de tanques de nova geração MGCS. Parece que aí…

Leia o artigo

Israel, Arábia Saudita, Bahrein e Emirados Árabes Unidos discutem aliança militar contra o Irã

O inimigo do meu inimigo é meu amigo, diz um provérbio italiano. E é verdade que não há nada mais eficaz do que uma ameaça premente e grande para trazer nações que tudo se opôs até agora, descobrir vínculos e formar alianças. Pensa-se naturalmente nos Estados Unidos e na União Soviética durante a Segunda Guerra Mundial, mas tais exemplos estão espalhados ao longo da história da humanidade, para além de continentes, épocas e culturas. No entanto, imagine apenas alguns meses atrás que Jerusalém, Riad, Abu Dhabi e Manama pudessem negociar, ainda que não oficialmente, uma aliança militar fora da supervisão americana,...

Leia o artigo

Su-35, S-400 ... Arábia Saudita pressiona Washington

Em 28 de janeiro, poucos dias após sua tomada de posse, o presidente dos EUA, Joe Biden, anunciou que estava suspendendo o apoio dos EUA à intervenção militar no Iêmen liderada pela coalizão liderada pela Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos. Concomitantemente, também foram suspensos vários contratos de armamento, notadamente relativos a bombas guiadas para Riad e a aquisição de F35 e MQ9B Gardian por Abu Dhabi. Mesmo que a decisão presidencial tenha sido cercada por um contexto diplomático, explicando que cabia ao novo governo examinar esses contratos, alguns dos quais foram assinados apenas uma hora antes do final de seu mandato presidencial por…

Leia o artigo

Qual será a estratégia de Joe Biden para a OTAN e a Europa?

Muitas chancelarias europeias souberam da eleição de Joe Biden para a Casa Branca com alívio não fingido, pois as relações com seu antecessor eram muito tensas e difíceis. Donald Trump nunca escondeu seu desprezo pela OTAN e pelos europeus que “se beneficiavam da proteção americana” sem pagar o preço. Com exceção de alguns países, como a Polônia, que se aliou muito abertamente ao ex-presidente e que agora deve manter uma postura discreta enquanto espera o tempo para fazer seu trabalho, muitos líderes do velho continente saudaram a chegada de Joe Biden à frente dos Estados Unidos em geral...

Leia o artigo

A estratégia de Pequim para tomar Taiwan pode ser contida?

"A independência de Taiwan significa guerra". É nestes termos inequívocos que Wu Qian, porta-voz do Ministério da Defesa da República Popular da China, conclui esta sexta-feira, 29 de janeiro, um briefing à imprensa chinesa sobre as repetidas manobras e exercícios realizados pelo Exército Popular de Libertação, suas forças aéreas e navais, no Passo de Taiwan e no Mar da China nos últimos dias. E para esclarecer que enquanto o DDP, o partido da independência no poder desde 2016 na ilha, continuar a recusar a reintegração de Taiwan na China, as tensões com Taipei e seus aliados desaparecerão…

Leia o artigo

Guerra Social, esta nova ameaça contra as democracias ocidentais

O ataque ao Capitólio por um grupo de desordeiros em 6 de janeiro, à margem do fim do mandato de Donald Trump, teve o efeito de um choque elétrico em todas as capitais ocidentais. De repente, a ameaça conspiratória, que até então era considerada um epifenômeno, certamente grave, mas limitado em seu potencial de dano, foi elevado à categoria de grande ameaça à própria sobrevivência da Democracia e do Estado de Direito. A partir de então, todos os chefes de estado ocidentais se comprometeram a tomar medidas para tentar controlar essa ameaça manipulada por alguns políticos sem escrúpulos e certas pessoas cujo status de guru social é lisonjeiro...

Leia o artigo

China autoriza a Guarda Costeira a usar a força mesmo em águas "contestadas"

Como a atenção da mídia neste fim de semana se concentrou nas consequências da crise do Covid, os primeiros passos de Joe Biden como presidente e os protestos pró-Navalny na Rússia, as tensões no Pacífico Ocidental voltaram ao seu nível antes da crise política que atingiu os Estados Unidos durante o eleição presidencial. Ao mesmo tempo, 18 aviões do Exército de Libertação Popular, incluindo vários bombardeiros estratégicos H-6K e caças-bombardeiros J-16, entraram na zona de defesa aérea da ilha de Taiwan, causando o alerta da força aérea independente da ilha. Ao mesmo tempo, a Marinha dos EUA estava se desdobrando no mar...

Leia o artigo
Meta-Defesa

GRÁTIS
VISTA