Grandes manobras são lançadas no Ocidente para projetar drones de combate de nova geração

Até à data, existem nada menos que 7 programas destinados a conceber ou integrar drones, a fim de ampliar as capacidades das aeronaves de combate, e isto apenas para o campo ocidental. Nos Estados Unidos, estes programas evoluem em torno do Domínio Aéreo de Próxima Geração da Força Aérea dos EUA e do F/A-XX da Marinha dos EUA; na Europa por volta Programas FCAS et Tempestade; e na Ásia ao redor Programas de FX japoneses, Sul-coreano KF-21 Boramae, assim como Morcego Fantasma MQ-28 Australiano. Todos visam projetar drones de combate furtivos de alto desempenho, capazes de evoluir em torno e em benefício de aeronaves de combate tripuladas, de modo a ampliar suas capacidades de detecção, ofensivas e defensivas. Se os programas de aeronaves de combate trazem consigo importantes ambições nacionais que limitam as possibilidades de aproximação, estes drones de combate, por seu lado, constituem sobretudo vetores económicos capazes de transportar capacidades diferenciadas. Portanto, não há nada de surpreendente no facto de a concepção destes sistemas estar agora a ser considerada no âmbito de parcerias internacionais, incluindo no âmbito de programas de aeronaves de combate de nova geração, tanto para reduzir custos, apenas para aumentar a sua difusão, como para impor um padrão de facto em os anos que virão.

É em qualquer caso a iniciativa do Secretário da Força Aérea Franck Kendall, como parte do programa NGAD. De facto, iniciou discussões com vários dos seus parceiros internacionais mais próximos, a Grã-Bretanha, por um lado, o Japão e a Austrália, por outro, a fim de desenvolver uma gama de nova geração de drones de combate compatíveis com os programas NGAD, Tempest e FX. Segundo o chefe político da Força Aérea dos EUA, os programas americano, japonês e britânico para aeronaves de combate de nova geração beneficiariam muito com a utilização de uma gama comum e padronizada de drones de combate e Loyal Wingmen, sem que se questione, no entanto , de ir além no compartilhamento tecnológico em torno do programa NGAD que continua sendo, como o F-22 antes dele, um programa de altíssima tecnologia destinado a projetar as melhores aeronaves de superioridade aérea do momento.

ats woomera first flight 02 large 1280x720 1 e1664890408198 Defense News | Alemanha | Austrália
A Austrália está envolvida no desenvolvimento de um drone de combate do tipo Loyal Wingman desde 2017, com a ajuda da Boeing, para produzir o MQ-28 Ghost Bat.

De momento, o programa europeu FCAS que reúne França, Alemanha e Espanha, não planeou inicialmente conceber um drone de combate deste tipo. Pretende desenvolver, para este tipo de missão, uma gama de drones aéreos de tamanho e capacidade complementares, e designados Remote Carrier. Esses drones são desenvolvidos dentro do pilar “Efeitos” do programa da Airbus DS com a MBDA como principal parceira. Mas as coisas podem muito bem mudar, depois de a Espanha ter proposto acrescentar um novo pilar ao programa novamente confiado à Airbus DS, a fim de conceber um drone de combate pesado autónomo. Para Madrid, trata-se tanto de dotar o programa europeu de capacidade adicional, que parece cada vez mais essencial, tendo em conta os esforços envidados noutros locais para a adquirir, como de propor uma porta de saída eficaz, a fim de permitir à Airbus DS tirar partido das suas capacidades na concepção de um sistema de combate aéreo, e assim emergir no topo da crise que colocou a Dassault Aviation e a Airbus DS em torno do pilar Next Generation Fighter, e que tem bloqueado a continuação do programa desde há 1 ano.


Restam 75% deste artigo para ler. Inscreva-se para acessá-lo!

Metadefense Logo 93x93 2 Notícias de Defesa | Alemanha | Austrália

Os Assinaturas clássicas fornecer acesso a
artigos em sua versão completae sem publicidade,
a partir de 1,99 €.


Para mais

1 COMENTÁRIO

Os comentários estão fechados.

REDES SOCIAIS

Últimos artigos