O sucessor do míssil antinavio Harpoon será hipersônico

Entrado em serviço em 1977, o míssil antinavio AGM-184 Harpoon foi produzido em mais de 7500 unidades pela MacDonnel Douglas e depois pela Boeing Defense, e utilizado por mais de trinta marinhas e forças aéreas em todo o mundo, nunca cedendo neste campo do que os famosos mísseis da família Exocet projetados pela NordAviation/Aerospatiale e que entraram em serviço em 1975. Esses dois mísseis não apenas compartilhavam desempenhos e perfis de voo semelhantes, mas também têm em comum uma longevidade extraordinária, pois tanto o míssil americano quanto o francês continuam sendo produzidos e exportados quase 50 anos após a sua entrada em serviço. No entanto, para ambos, mesmo que o desempenho das versões modernas do Harpoon Block II+ ER e Exocet MM40 Block IIIc tenha pouco a ver com os primeiros AGM-184 e MM-38, eles estão começando a ser vulneráveis ​​aos antimísseis modernos. defesas, seja devido a mísseis antimísseis de curto e médio alcance, sistemas de proteção aproximada CIWS ou avanços no campo de interferência e iscas.

Esses dois mísseis inicialmente ofereceram um valor agregado significativo devido à sua trajetória de voo deslizando pelas ondas em alta velocidade subsônica (entre 850 e 900 km/h), deixando apenas algumas dezenas de segundos para o alvo detectar, engajar e tentar destruir ou chamar a atenção o míssil. Com o progresso nos sistemas de combate, sistemas de detecção e armas a bordo, esse prazo agora é amplamente suficiente para responder a tal ameaça para um navio moderno (não foi o caso do Moskva), reduzindo efetivamente a eficácia potencial do míssil. Para respondê-la, o França e Grã-Bretanha planejam desenvolver um novo míssil antinavio supersônico mantendo os atributos do Exocet e seu vôo skimming, mas cujo perfil furtivo, velocidade supersônica e trajetória pop-up final reduzirão o tempo de resposta para menos de 5 segundos para a embarcação alvo. Os Estados Unidos, por sua vez, aparentemente decidiram recorrer a outra abordagem, a escolhida pela Rússia e pela China, ou seja, o míssil hipersônico.

O míssil antinavio russo 3M22 Tzirkon apresentado como hipersônico completou sua campanha de testes e deve entrar em serviço este ano com a Marinha Russa

Com efeito, no quadro da preparação do orçamento de 2023 do Pentágono, surgiu um novo programa designado como Offensive Anti-Surface Warfare Weapon (OASuW) e batizado HALO, destinado a projetar o substituto hipersônico para o míssil Harpoon. A Marinha dos EUA está de fato solicitando financiamento de US$ 92 milhões em 2023 para começar a trabalhar neste programa, depois que foi recusado o financiamento de US$ 56 milhões em 2022 para o mesmo projeto. O objetivo é permitir o desenvolvimento de um míssil antinavio capaz de evoluir em um ambiente altamente contestado, em alto mar e na zona litorânea, e frustrar as defesas antimísseis existentes e futuras. A fase de desenvolvimento se estenderá até 2027, o que sugere que o novo míssil não entrará em serviço até a próxima década. vamos lembrar disso o míssil anti-navio russo 3M22 Tzirkon deve entrar em serviço no final deste ano a bordo da fragata Almirante Golovko.


O restante deste artigo é apenas para assinantes

Os artigos de acesso completo estão disponíveis no “ Itens gratuitos“. Os assinantes têm acesso aos artigos completos de Análises, OSINT e Síntese. Artigos em Arquivos (com mais de 2 anos) são reservados para assinantes Premium.

A partir de 6,50€ por mês – Sem compromisso de tempo.


Artigos Relacionados

Meta-Defesa

GRÁTIS
VISTA